Extra e O Globo, gêmeos bivitelinos

Não é de hoje que grandes empresas criam vários segmentos produtivos – ou se preferir outras empresas. Principalmente as empresas ligadas a comunicação, onde podem atingir vários públicos de “espectadores” que possuem gostos diferenciados. A Rede Globo é um belo exemplo disso com o seu strongjornal “O Globo” e o jornal “Extra”, jornais diferentes de uma mesma empresa. Assim como observamos em 6 jornais (3 Extras e 3 Globos, dois de cada dia) em 3 dias diferentes
-Aspectos físicos:
A manchete principal do Globo é apresentada com destaque na primeira página e desenvolvida em matéria de página inteira na seção Rio. Já o Extra a disponibiliza em espaço de menos de um terço de página, no interior do jornal. A linguagem utilizada pelo Globo na transmissão da mensagem se direciona ao público que tem nível de instrução mais elevado. Existe uma preocupação maior com o emprego mais neutro das palavras, ao contrário do Extra. É visível ainda o cuidado que O Globo possui com o aspecto visual, procurando manter suas páginas “clean”, diferentemente do Extra, que contém uma diversidade de cores grifando suas matérias.
O preço dos jornais também difere. O Globo custa dois reais de segunda a sábado e três reais e cinqüenta centavos no domingo. Já o Extra, custa um real de segunda a sábado e dois reais e trinta centavos no domingo

>Cadernos:
Dias da semana e sábado:
O conteúdo semanal do jornal O Globo é distribuído pelas seguintes seções: O País, Opinião, Rio, Economia, Esportes, O Mundo, Ciência e Classificados, e pelos cadernos Prosa & Verso, Ela e Segundo Caderno – além de outros cadernos específicos para cada dia da semana, para arrecadar vendas, como o Megazine destinado a um publico mais jovem. O Extra é composto por: Você Manda, Geral, Retratos da Vida, O País, Internacional, Economia, Viva Mais, Classificados, Sessão Extra e Jogo Extra.

Domingo:
Distribuição de cadernos e seções do Extra: Primeiro caderno, com as seções Gerais e Economia; Jogo Extra, em formato de revista, sobre esportes em geral; Canal Extra, uma revista propriamente dita sobre a programação televisiva (praticamente toda sobre a Rede Globo); Bem-Viver, também em formato de revista, sobre saúde, educação, relacionamentos, lazer e beleza; Vida Ganha, sobre empregos, estágios e pequenos negócios; Extra Imóveis, em formato de revista, sobre compra, venda e aluguel de casas, apartamentos e terrenos, além de créditos e financiamentos; e 24 páginas de classificados

Os cadernos do Globo são distribuídos da seguinte maneira: Primeiro caderno, de cunho político e social, com as seções O País, Carta dos Leitores, Opinião e Rio; Segundo Caderno, de cunho cultural, abrigando as seções Gente Boa e Rio Show; Economia; O Mundo, com notícias internacionais de cunho político e social; Revista O Globo, sobre variedades de aspecto social; Morar Bem, parte imobiliária; Revista da TV, que pode ser comparada à Canal Extra, sobre novelas, novidades da programação e atores; Boa Chance, sobre oportunidades como empregos e cursos; Ciência, de apenas uma página, sobre as últimas descobertas, experiências e polêmicas científicas; Saúde; e Classificados.

>anúncios:
Terça-feira, dia 10 de junho:
No Extra aparecem propagandas de seguros saúde com preços para cada pessoa, de corretoras e de universidades como Gama e Souza e Unipli. No Globo, um informe publicitário diz “Diga não a volta da CPMF”, claramente tentando atingir os formadores de opinião e os que mais serão afetados pela CSS. Outras propagandas do Globo são de máquinas fotográficas, do BarraShopping, da faculdade FGV e também há um recall de carros CrossFox e SpaceFox, carros destinados a classe mais alta.
Mas nem tudo é diferente entre eles. As propagandas da Vale, do BNDES, da Compaq e da UVA são iguais em ambos os jornais.

Sábado, dia 14 de junho:
Um ponto que foi encontrado em comum entre os dois jornais relaciona-se com os produtos e serviços anunciados, sendo que dois deles encontram-se na primeira parte do Globo e do Extra. Parece evidente que as duas propagandas, tanto sobre o Shopping Matriz, como também a relativa à construtora Julio Bogoricin pretendem atingir várias classes sociais.

Domingo, dia 15 de Junho:
Em relação aos anúncios, são semelhantes não só em conteúdo, mas no espaço que ocupam, com o predomínio das mesmas empresas em ambos os jornais, como Casa & Vídeo, Estácio de Sá, Casas Bahia, UVA e Tele-Rio.

-Os Jornais:
Terça-feira, dia 10 de Junho:
O Extra dá mais importância em sua capa para notícias mais polêmicas, de maior interesse e que afetem mais os cidadãos de menor renda, nesta edição as quatro que mais ocuparam espaço foram: “Professora transexual luta contra preconceito”, “Crise deixa kit-gás R$300 mais barato. Já O Globo, tem como mais importante, notícias sobre economia e política, e por isso as manchetes que mais chamam atenção na edição de terça são: “Estado vai cortar 60% das vans”, “Contrato de gaveta revela acordo para enganar Anac” e “Candidatura de Paes é ameaçada”.
A abordagem de uma mesma notícia também, às vezes, se difere de um jornal para o outro. Por exemplo, na reportagem sobre o novo edital de licitação das vans que deverá diminuir em 60% o número de veículos, O Globo passa como mais importante o fato de que isso deverá melhorar o trânsito, padronizar o transporte e evitar que milícias e traficantes utilizem as cooperativas. Mas no Extra a maior importância é que “centenas de famílias” ficarão “sem ganha-pão”.
Às vezes, as mesmas notícias são escritas pela mesma pessoa. Na reportagem sobre os 115 kg de maconha encontrados em Santo Cristo, a jornalista do Extra Natalia von Korsch é a autora da notícia em ambos os jornais, mas no Globo aparece mais informação. Já na reportagem sobre a Alerj e a cassação de Álvaro Lins, um jornalista do Globo escreve a notícia, mas outra vez partes da notícia são cortadas no Extra, e nesse caso, os cortes, chegam até a atrapalhar o entendimento da reportagem.

Sábado, dia 14 de Junho:
As principais manchetes do Globo estão ligadas a questões de interesse público mais geral, como “Indexação agravaria inflação em 2009”, “Tentativa de censurar jornal provoca reação” e “Irlanda diz não e põe UE em crise”. O Extra avisa: “Marinha abre 1.520 vagas para fuzileiros navais”. “Boxeador que Brasil devolveu a Fidel foge de barco de Cuba” e “Foto escandalosa faz Ronaldo fugir”. Essas notícias são indicativas de que temas de interesse público não ocupam grande espaço na primeira página do Extra, que privilegia assuntos de interesse mais popular, além de outros sobre a vida privada de “celebridades”, de caráter sensacionalista.
Com a leitura da seção O Mundo, do Globo, e Internacional, do Extra, é possível distinguir com clareza as distintas abordagens. O primeiro se dedica mais profundamente, apresentando maior nível de informação em relação aos assuntos tratados: duas páginas com seis matérias abordando temas internacionais, enquanto que, no segundo, observamos somente a existência de um espaço com duas pequenas matérias. Em comum, apenas a notícia da queda de um avião no Chile. Curiosamente, o título nos dois jornais é idêntico: “E se comêssemos o piloto”. E mais: a primeira frase também é a mesma, “Meio quilo de leite em pó, dois pacotes de biscoito, um caramelo e água da chuva e da neve.” O Globo, porém, indica a procedência da nota, que é traduzida do jornal El País. O Extra nada diz. Ético?

Domingo, dia 15 de Junho:
A grande maioria das matérias da parte de economia no Extra (que se encontra dentro do Primeiro caderno) tem uma abordagem muito mais social do que econômica, todas restritas ao estado do Rio: “Carona em ônibus interestadual para mais de 1 milhão de idosos”, “Trocando a favela pelo asfalto”, “Pela casa própria vale até sorteio”. No caso do Globo, existe um caderno inteiro dedicado à economia, com notícias mais complexas e relativas ao país inteiro e ao mundo, como, por exemplo, a matéria “G-8: petróleo e alimentos afetam PIB”.

Conclusão:
Em suma, pode-se dizer que, o Extra, independente do caderno ou da seção, aborda os fatos a partir de uma perspectiva social, que mostre a notícia afetando diretamente a vida do leitor. O Globo está muito mais ligado na imprudência a ser exposta a partir do sensacionalismo sócio-cultural, e o Extra, em contraste, expôs as notícias de uma forma que conota fofoca oficial, o jornal expõe a realidade como sendo triste ou simplesmente real.
Ambos os jornais deixam claro o seu objetivo e o público que pretendem atingir, e pelo fato do Extra fazer parte das organizações Globo, pode-se concluir que estas reconhecem a desigualdade social e se formulou para ganhos máximos dentro deste momento do país, e tornando-o assim não um momento, mas uma eterna realidade.

Externos:
- Link para o documentário “Muito além do cidadão kane”, que conta a história da globo. Dividido em 4 partes respectivamente:
http://br.youtube.com/watch?v=JA9bPyd1RKQ
http://br.youtube.com/watch?v=m0m1rmi-Ooc
http://br.youtube.com/watch?v=mERhb-SDnMo

http://br.youtube.com/watch?v=pAfAkTFs7wI

-Foto dos jornais analisados:

About these ads

2 Respostas para “Extra e O Globo, gêmeos bivitelinos

  1. Esqueci de colocar o nome dos integrantes do grupo que fizeram esta matéria:
    Eduardo Jardim, João Atala , Júlia Nunes, luisa Bregman e Rodrigo Bernardes

  2. Pessoal, vocês precisavam ter usado algum tipo de tabela para fazer certas comparações. O texto está cheio de erros e díficil de entender.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s